Moradores do Penha temem que árvore caia sobre casas

0
241
Há quase um ano moradores procuram o Semov e a Cemig pedindo a poda da árvore, mas nada ainda foi feito.Foto divulgação

Quando as árvores crescem muito próximas da rede elétrica, a poda é essencial, por questão de segurança. No bairro Penha, alguns moradores entraram em contato com o DIÁRIO DO RIO DOCE para reclamar de uma árvore que está tirando o sono deles. Eles contam que a árvore, que fica na rua Sete, em frente ao número 171, pode cair a qualquer momento, ou até mesmo provocar um curto circuito. Os órgãos competentes foram procurados há quase um ano, mas nada ainda foi feito. Na sexta-feira, 15, depois de um temporal atingiu a cidade, começaram a sair faíscas da rede elétrica e alguns galhos da árvore ficaram queimados.

A moradora Dirce Maria dos Santos disse que sentiu muito medo na hora que viu o temporal se formando. “Fiquei com muito medo de a árvore cair ou de acontecer um curto circuito, porque vimos a quantidade de fogo que saía da rede elétrica.  Tanto que, no outro dia, quando fomos olhar a árvore, percebemos que ela estava com vários galhos queimados. Corremos um risco danado com aquela chuva.”

Dirce ressalta que há quase um ano procura a Cemig e o Semov para tentar solucionar o problema, mas todas as tentativas foram em vão. “Já estou cansada de andar pra lá e pra cá. Chego à Cemig eles falam que o responsável é o Semov. Vou para o Semov e eles falam que a Cemig tem que desligar a energia para eles fazerem a poda. Volto na Cemig e eles falam que vão me dar um retorno. E o tempo vai passando. Não adianta eles virem aqui depois que uma tragédia já tiver acontecido.

Auricélia Ferreira dos Santos, que mora em frente à casa de Dirce Maria, no número 180, conta que, quando começa a ventar, o desespero toma conta da família dela. “Ficamos desesperados. Tenho medo de a árvore cair em cima da minha casa. Começa a ventar e a chover e já fico desesperada. Algo tem que ser feito; nossas vidas estão em perigo”, conta.

Bombeiros

Na sexta- feira, 15, um temporal, que durou em torno de 40 minutos, inundou ruas no Centro e provocou danos de todos os tipos nos bairros de Valadares. Segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação foi acionada 16 vezes durante o temporal, para fazer atendimentos de quedas de árvores em vias públicas e em residências, vistorias em árvores com risco de queda, desabamento e desmoronamento.

Cemig

Em relação à solicitação da moradora da rua 7, no bairro Penha, a Cemig informou que faria uma inspeção no local para verificar a situação da árvore ainda na tarde de ontem, 18. A empresa esclarece que é de sua responsabilidade apenas a poda de árvores que estão em contato com a rede elétrica. Os demais serviços devem ser executados pela Prefeitura.

Procurada, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura não quis se manifestar a respeito das reclamações dos moradores.

por Angélica Lauriano angelica.lauriano@drd.com.br