Monitoramento da qualidade da água do rio Doce é tema de reuniões em Rio Casca

Representantes da Fundação Renova se reuniram na sexta-feira (19) com moradores das comunidades Leonel, Córrego Preto e Rochedo, zona rural de Rio Casca, na Zona da Mata. A ação foi realizada para apresentar e acolher as percepções dos moradores sobre o Plano de Manejo de Rejeitos e explicar como funciona a estrutura de monitoramento da qualidade da água do rio Doce.

Ao todo, 20 pessoas participaram das duas reuniões. A analista socioambiental da Fundação Renova, Soraia Soares Silva, explicou o objetivo do Programa de Monitoramento da Bacia do Rio Doce: “Esse programa da Fundação Renova realiza o monitoramento qualitativo e quantitativo sistemático [PMQQS] de água e de sedimentos de caráter permanente”.

Ainda durante as reuniões, foi proposta aos moradores a realização de duas visitas, uma até a Usina Hidrelétrica Risoleta Neves, para que conheçam o processo de dragagem do rejeito, e outra ao Ponto de Monitoramento de Qualidade da Água, localizado em São Domingos do Prata, próximo à BR-262, que permite compreender como o rio Doce está na região onde se localizam as comunidades.

Os moradores que marcaram presença nas reuniões também foram convidados a participar de um curso de avicultura, promovido pela Fundação Renova em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), que tem início previsto para 6 de agosto.

Além da analista Soraia Soares Silva, participaram das reuniões Luiz Eduardo Wiggers, analista técnico do Programa Manejo de Rejeitos, Priscila Kelly da Silva, do Plano de Monitoramento da Qualidade da Água para Consumo Humano (PMQACH), e André Luís do Sacramento, do Mapa do Diálogo Social.