Isso, isto, esta, dessas e outros

487

Os jovens estão ansiosos por um mundo mais justo, mais seguro. ESSA é a conclusão a que chegamos ao observar as pesquisas de opinião feitas entre jovens e adolescentes. ISSO também é fácil de concluir. Basta conversar com eles.

Li num jornal DESTA semana uma entrevista que chegou a ESTA conclusão: Os jovens não querem saber de política.

Triste conclusão, pois ESSA atividade é de suma importância para a organização da sociedade. ESSE alheamento é muitíssimo perigoso, exatamente para ESSES mesmos jovens. Quem dirigirá o mundo no futuro? Daqui a pouco, os atuais políticos estarão, obrigados pelo implacável tempo, que a tudo destrói, fora de combate, quer ceifados pela morte, quer impedidos pela idade.

As coisas acontecem muito rapidamente. Aliás, os acontecimentos começaram a se precipitar mais precisamente a partir de 1922. NESSE ano foi realizada a famosa Semana de Arte Moderna, que provocou uma verdadeira revolução nas artes, na literatura e, consequentemente, nos costumes e comportamento das pessoas.

ISSO tudo que se vê hoje, ESSE desinteresse dos jovens com relação a assuntos importantes para o seu próprio futuro, é, em grande parte, o resultado da ação incoerente e irresponsável de muitos líderes e dirigentes. E o pior é que os parlamentares e muitos membros do Poder Judiciário e do Executivo, em todos os níveis, se unem para proteger seus membros que cometem graves erros e até crimes. Os jovens veem ESSES erros clamorosos e lamentáveis e se afastam da atividade política. É tudo muito triste e perigoso. Com ISSO, os incompetentes, os gananciosos e os desonestos, e até bandidos, vão aumentando o seu espaço.

Bem, o assunto é vasto e poderia falar sobre ele quase que indefinidamente. Mas o meu objetivo, além do alerta, é chamar a atenção sobre o uso dos pronomes demonstrativos, que destaquei em caixa alta: isso, essa, deste, este, etc. ESSES pronomes são muito usados. Na maioria das vezes, mal usados, ou jogados de qualquer forma no texto. NESTE primeiro momento, ficarei restrito ao uso no texto, pois há ainda no tempo e no espaço geográfico, o que farei nos próximos artigos.

Os com S deverão ser usados quando se referem a fatos passados ou já citados no texto. Os com T, quando o fato a que se referem vem depois deles. Vejamos:

Jesus disse ISTO: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus”. / “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.” ESSAS palavras foram ditas por Jesus.

Continuarei com o assunto nos próximos domingos.

Ilvece Cunha | Professor de Português | ilvececunha@hotmail.com