Homem é morto a pauladas pelo ex-genro no Turmalina

Osmar Correa da Silva foi agredido a pauladas e teve vários ferimentos na cabeça e na boca. Sua morte e dos demais membros de sua família já havia sido anunciada no domingo pelo suspeito de cometer o crime. Foto: Roberto Higino

A vítima foi assassinada com requintes de crueldade e o motivo seria o cumprimento de uma ameaça que o suspeito fez de dentro da Delegacia Regional no último domingo. Ele disse que, assim que fosse solto, mataria a ex-companheira e toda a sua família

Mais um homicídio foi registrado em Governador Valadares e, desta vez, com requintes de crueldade e sem qualquer chance de defesa da vítima. O crime foi registrado por volta das 22h30, na esquina das ruas Peroba e Hortência, no bairro Turmalina, próximo a um supermercado. No local, os policiais que atenderam à ocorrência encontraram Osmar Correa da Silva, 52 anos, caído em cima de uma bicicleta, já sem os sinais vitais. Ele apresentava sinais de agressões principalmente na cabeça e, ao que tudo indica, foi atacado a pauladas.

Uma equipe do Samu esteve no local e confirmou o óbito. Peritos da Polícia Civil também estiveram no local e já iniciaram a investigação para identificar os autores do crime e as causas que os levaram a cometer um ato tão brutal. Testemunhas que estavam no local foram interrogadas, mas nenhuma delas quis dizer algo sobre o crime. Todas argumentaram que queriam se preservar, visto que os suspeitos seriam dois irmãos que são temidos no bairro e que poderiam querer vingar se soubessem quem foram os delatores.

Com muita persistência, os policiais chegaram aos nomes de Igor Lima Pinheiro de Paula Costa, 20 anos, mais conhecido como “Fuscão”, e de seu irmão, um menor de 16 anos. A reação das testemunhas, segundo consta no boletim de ocorrência, é porque os dois suspeitos seriam membros de gangues e envolvidos com o tráfico de drogas, por isso são temidos por todos os moradores do bairro. Com essas informações, os policiais foram até a casa dos suspeitos, que fica próxima ao local do crime, mas ninguém foi encontrado.

Enquanto verificavam o local para ver se encontravam alguma pista, a mãe dos suspeitos chegou e deu algumas informações que podem ajudar a elucidar o crime. Inicialmente, disse que estava com os filhos mais cedo, mas teve de sair e, quando retornou e ficou sabendo do crime, não os encontrou. Ainda de acordo com a mulher, no domingo, 12, houve uma briga entre Igor, o seu irmão e uma mulher, identificada como Juliana, que seria ex-companheira do primeiro e que teria terminado o relacionamento recentemente. Segundo informações, os dois brigavam constantemente. No domingo, Igor teria agredido a mulher a golpes de faca, por isso foi detido e levado para a Delegacia Regional. A mãe do rapaz informou também que Igor teria dito na Delegacia que, quando saísse, mataria Juliana e toda a sua família.

Como conhecem bem a rotina dos acusados, tendo em vista que eles são conhecidos da polícia, devido ao envolvimento em diversos outros crimes, foram realizadas diversas diligencias em endereços onde eles costumam se esconder. Contudo, moradores disseram que eles teriam corrido para um pasto e, provavelmente, estariam escondidos na mata.

O perito Artur Aquino Brandão e o investigador Genildo da Silva Lemes, da Polícia Civil, estiveram no local, recolheram o corpo depois dos exames iniciais e o encaminharam para o Instituto Médico Legal (IML). O perito constatou que a vítima apresentava ferimentos na cabeça e uma lesão na boca.