Falha do Hospital Municipal manda corpo de valadarense para ser enterrado em Almenara

0
302
Morayma ficou indignada com tudo que aconteceu e disse que só conseguiu destrocar o corpo da sogra por insistência dela e da família, já que a administração do Hospital não fez nada .Foto - Roberto Higino

Ainda não há informação da Secretaria Municipal de Saúde sobre quais serão as providências em relação à troca de corpos que aconteceu no Hospital Municipal na última quinta-feira, 16. O assunto ganhou destaque na imprensa local no final de semana e, mesmo assim, a Prefeitura não quis se manifestar a respeito, nem para dizer quais providências foram tomadas para apurar os fatos e apontar os responsáveis.

A troca dos cadáveres de duas mulheres causou revolta e indignação nos familiares, principalmente da idosa que residia em Governador Valadares e cujo corpo foi parar na cidade de Almenara, no Vale do Jequitinhonha, distante mais de 400 quilômetros. Enquanto isso, o corpo da mulher de Almenara foi entregue aos familiares da valadarense.

O momento de dor pelo qual as famílias passavam se intensificou com o erro da troca de corpos. A valadarense Maria da Conceição Pereira de Souza, 84 anos, estava enferma havia algum tempo e faleceu por volta das 6 horas. Outra mulher, da cidade de Almenara, que estava internada no mesmo hospital, também veio a óbito na mesma manhã. Na hora de encaminhar os corpos aos familiares aconteceu a falha no setor que faz a liberação para as funerárias.

Quando a funerária foi buscar o corpo de Maria da Conceição, parecia tudo normal. Familiares chegaram a pedir para vê-lo, mas o hospital não permitiu e o corpo foi levado. Horas depois, quando o corpo de Maria da Conceição chegou para ser velado em uma igreja, os parentes levaram um susto ao abrir o caixão e ver que o corpo não era o de Maria da Conceição. Aí começou o desespero da família, para saber onde foi parar o corpo dela. A nora de Maria da Conceição, Morayma Souza Alves, conta que, ao perceber o erro, logo entrou em contato com o Hospital, mas nem a instituição sabia do erro e muito menos informar onde estava o corpo da idosa.

Morayma conta que buscou todas as informações. “Primeiro falaram que o corpo tinha ido para Belo Horizonte, mas acabei descobrindo pela funerária que o corpo estava em Almenara. Eu tive que correr atrás de tudo, ninguém da administração teve coragem de vir conversar com a gente. Fizemos um boletim de ocorrência e, depois que as coisas se acalmarem, vamos entrar com um processo contra o Hospital. O corpo da minha sogra só chegou para ser velado por volta das 23h daquele dia”.

A reportagem do DIÁRIO DO RIO DOCE  entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Valadares, que é a responsável pelas informações referentes ao hospital, mas não houve retorno até o fechamento desta edição. O jornal também tentou encontrar algum parente da mulher de Almenara, mas, apesar da insistência, nenhum parente foi localizado naquela cidade para falar a respeito. O caso está registrado em boletim de ocorrência da Polícia Militar, a pedido da família de Maria da Conceição.