“É divertido, não tem problema. É tudo normal e é tudo verdade”

FOTO: Divulgação

Ministro Paulo Guedes (Economia) sobre Bolsonaro chamar madame Macron de feia

 

‘Fundão Sem Vergonha’ abre o Tesouro a políticos

A lei do Fundo Partidário, aprovada na Câmara, já batizada de “Fundão Sem Vergonha”, é uma das mais ousadas investidas da classe política contra o Tesouro Nacional. A partir de agora, o cidadão roubado pelo político terá de pagar os advogados dele, o corrupto processado. Terá de pagar também as multas da Justiça a candidatos que cometam delitos eleitorais. Além disso, partidos agora poderão comprar, com dinheiro do Fundão Sem Vergonha, carrões, aviões e sedes suntuosas.

 

Pior que o soneto

Criada  a pretexto de financiar obras nas bases eleitorais, a emenda parlamentar pode ser usada para bancar a campanha dos políticos.

 

Duplamente vítimas

Pela lei aprovada, ladrões notórios e já presos, como Lula, Eduardo Cunha e Sérgio Cabral, terão advogados pagos pelas vítimas do roubo.

 

Transe indecoroso

A Câmara devia estar em transe ao aprovar no Fundão Sem Vergonha que o dinheiro público pagará até multas de políticos em campanha.

 

Inacreditável

Partidos com a dignidade de recusar o Fundão teriam o dinheiro redistribuído a outros partidos, mas ao menos isso foi rejeitado.

 

Tarcísio, o principal ‘eleitor’ de Aras para a PGR

Não foi da área jurídica o grande eleitor do futuro procurador-geral da República. O principal articulador da escolha de Augusto Aras para o lugar de Raquel Dodge, na PGR, foi um ministro da área técnica, Tarcísio Freitas (Infraestrutura), muito elogiado por Bolsonaro. Para bater o martelo, o presidente pretendia de Aras apenas o compromisso de combater a corrupção e agir para que ações do Ministério Público em questões ambientais não dificultem o desenvolvimento do País.

 

Avalista

Augusto Aras também teve o apoio decisivo do general Villas Bôas. Reuniram-se longamente há um mês e Aras ganhou outro “avalista”.

 

Longa conversa

Durou três horas a conversa de Aras com Villas Bôas, na casa do general, localizada no Setor Militar Urbano, em Brasília.

 

Passado

A indicação de Tarcísio e o aval do general foram fundamentais para vencer a resistência de quem via no futuro PGR pinta de “esquerdista”.

 

Patrulha bolsonarista

Bolsonaristas-raiz têm um “pé atrás” com o futuro PGR. Alegam que Augusto Aras andou reconhecendo importância do MST e definiu Che Guevara como “pensador que sonhava com a liberdade”.

 

Porta-voz sofre

Um telefonema do ministro Paulo Guedes (Economia) e a repercussão negativa na mídia fizeram o presidente Bolsonaro, da noite de quarta (4) para o amanhecer de quinta (5), recuar da ideia de “flexibilizar” o teto de gastos, desmentindo o seu próprio porta-voz.

 

Tese comprovada

Paulo Guedes descreveu por duas horas, em Fortaleza, os avanços do governo, segundo ele ignorados pela imprensa, que prefere focar no caso da “mulher feia” de Macron. De fato, a notícia do dia foi o ministro de Bolsonaro falando sobre a feiura da primeira-dama francesa.

 

Factoide sem limite

Rodrigo Maia e a bancada do holofote fizeram festa na petição on-line para investigar incêndios na Amazônia. Maia prometeu criar comissão externa. Deveria ser permanente: seca e queimadas ocorrem todo ano.

 

Coleta de dados

A Lei Geral de Proteção de Dados deu até agosto de 2020 para que as empresas se adequem. Quem coletar dados pessoais de clientes sem consentimento pode ser multado em até R$ 50 milhões.

 

Barbas de molho

Empresários contratados pelo Detran-DF acusam o diretor de T.I., Luís Otávio Pontes, de abordagens pouco republicanas. O governo nega e garante que a indicação de Pontes não foi política; “100% técnica”.

 

Celebração na baixa

Funcionários da Câmara ligados sobretudo à oposição estão entre os que acreditam em pesquisas contrárias ao presidente Bolsonaro. E acham o máximo os modestos 16% de aprovação do Legislativo.

 

Queimadas reduzidas

Governador do Amazonas, Wilson Lima, comemorou a presença de militares no Estado para ajudar no combate a queimadas, que já no início do mês registrou “redução de 24% em relação ao ano passado”.

 

Pensando bem…

…a declaração conjunta para acelerar o livre-comércio entre Brasil e Chile mostra que o clima entre os países só está ruim nas manchetes.