CVV abre inscrições para novos voluntários

"Nos sabemos que as pessoas carecem dessa escuta. Nossa missão é muito importante, pois podemos ajudar muitas pessoas", explica a voluntária Ana Angélica Gonçalves. Fotos: Angélica Lauriano

O Centro de Valorização da Vida conta hoje com 30 atendentes, mas para atender 24 horas por dia, através do 188, busca novos voluntários, já que a demanda é grande e o telefone não para de tocar

Implantado em 27 de abril de 2017, o Centro de Valorização da Vida (CVV) de Governador Valadares conta com 30 voluntários, que doam quatro horas do seu tempo, uma vez por semana, para ajudar aqueles que precisam. Nos dias 8 e 9 de junho vai acontecer em Valadares, das 13h30 até as 18h30 (sábado) e das 8h30 até as 12h30 (domingo), mais um curso para aquisição de novos voluntários, com o objetivo de ouvir, levar apoio emocional e prevenir o suicídio. No Brasil, o CVV foi criado em 1962. Os membros prestam serviço voluntário, atendendo a pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os atendimentos são realizados por telefone em todo o país, 24 horas por dia, através do 188.

De acordo com o coordenador do CVV na cidade, Antônio Martins, para se tornar um voluntário o interessado não precisa de uma qualificação especial. “Antes de iniciar, é preciso que a pessoa passe por um treinamento. Em seguida, faz estágio com os voluntários. Os novos voluntários vão aprender a simplesmente ouvir. Nosso maior objetivo é a proteção da vida e a prevenção do suicídio, que se alastra pelo mundo. Em Valadares esses números estão cada vez maiores, por isso a importância do CVV, não só na cidade, mas em todo o país”, alerta o coordenador.

O coordenador ressalta ainda que a captação de voluntários é necessária porque somente 30 voluntários não estão dando conta de atender a demanda. Em Valadares, o trabalho é desenvolvido em três tempos: das 7h às 11h, das 14h  às 18h e das 18h às 22h, deixando algumas janelas de atendimento em aberto. Mas a ideia é atender 24 horas por dia.

Para se tornar voluntário de um posto CVV é preciso passar por treinamento, conforme explica a coordenadora do curso, Alexsandra de Oliveira. “Em Valadares, nos dias 8 e 9 de junho, acontecerá o Curso de Seleção de Voluntários (CVV), que será ofertado à população de forma gratuita e pode participar qualquer pessoa, independentemente de formação, com mais de 18 anos. Para participar e ter o certificado o interessado terá de fazer os dois dias de curso. Depois ele terá cinco sábados de aulas práticas. Em seguida, ele passa por estágio, acompanhado de um voluntário. Terminando esse processo, ele recebe a senha para começar a atender sozinho.”

A voluntária Ana Angélica Gonçalves explica que é, sim, possível prestar ajuda por telefone a quem precisa. “O CVV nos prepara de uma forma cuidadosa, atenciosa e técnica, para que possamos ser voluntários realmente eficientes. Não chegamos para fazer o atendimento sem uma preparação. Temos ajudado muitas pessoas, mas também somos muito ajudados. Eu falo que é um ganho bilateral muito importante. A humanidade precisa disso, Valadares precisa se envolver e desenvolver mais, ampliar mais o serviço prestado pelo CVV. Nós sabemos que as pessoas carecem dessa escuta e nossa missão é muito importante, pois podemos ajudar muitas pessoas.”

As inscrições podem ser feitas pelo site www.governadorvaladares.org.br ou presencialmente, no dia 8 de junho, no local. O curso será ministrado pela representante da CVV de Belo Horizonte, Norma Moreira de Oliveira, especialista em treinamento no centro. O curso acontecerá na rua Manoel Byrro, 241, no bairro Vila Bretas, no auditório da UNIPAC.

Novidade

O coordenador de divulgação do CVV, Ronaldo Loyola, conta que no fim do mês de junho serão lançados dois vídeos, um deles para trabalhar com lideranças e grupos de professores, que terá duração de 10 minutos. “A ideia é que as pessoas percebam os sinais no meio da juventude. O outro vídeo é de 6 minutos, que é jovem falando para jovem a respeito do suicídio. Esses vídeos vão ser cedidos pelo CVV às escolas e em seguida vamos treinar os professores”.

por Angélica Lauriano | angelica.lauriano@drd.com.br