Colégio Tiradentes é a primeira escola da cidade a receber doação de telas de Sebastião Salgado

As telas foram entregues ao comandante do Colégio Tiradentes, major José Luiz Fernandes, pelas mãos da supervisora de Logística do Instituto Terra, Marilda Damasceno. FOTO: Divulgação.

As telas autografadas são do projeto Êxodo, de Sebastião Salgado, e foram feitas ao longo de seis anos, em viagens por quarenta países. Agora as telas fazem parte do acervo do Colégio Tiradentes da Polícia Militar em Valadares

A manhã de sexta-feira, 22, vai ficar marcada na história do Colégio Tiradentes da Polícia Militar em Governador Valadares. A direção da escola, o corpo docente e os alunos tiveram a honra de receber nas suas dependências a supervisora de Logística do Instituto Terra, Marilda Damasceno. O motivo da visita: a doação de oito telas do renomado fotógrafo Sebastião Salgado. O colégio militar foi a primeira escola da cidade a receber as telas do projeto Êxodo, de Sebastião Salgado, feitas ao longo de seis anos em viagens por quarenta países. Agora as telas autografadas fazem parte do acervo do Tiradentes e, em breve, estarão expostas, para encantar quem passar pelos corredores da instituição.

A cerimônia para receber as doações foi realizada no auditório do colégio e contou com a presença da Banda de Música 8ª RPM, do tenente-coronel Jésus de Souza Lima, do comandante do Colégio Tiradentes, major José Luiz Fernandes, e da diretora pedagógica, Emília Marilda Cassini, os quais receberam das mãos de Marilda Moreira Damasceno as telas do fotógrafo. Para o major José Luiz Fernandes, esse momento vai ficar eternizado no Colégio Tiradentes. “Estamos muito felizes. Ter telas como essas nas dependências do colégio é importantíssimo. Tenho muito que agradecer à Marilda e ao Instituto Terra, tão importante na nossa região, e em especial ao Sebastião Salgado, homem de uma sensibilidade sem fim, um amante da natureza e da arte. Aos alunos que fizeram parte desse momento, deixo registrado o compromisso da escola em sempre levar ao coração de cada um o amor pelo nosso planeta. Hoje, o dever de cuidar da natureza está nas mãos de cada aluno”.

As telas autografadas são do projeto Êxodo, de Sebastião Salgado, e agora fazem parte do acervo do Colégio Tiradentes da Polícia Militar em Valadares. FOTO:Divulgação

A diretora pedagógica do Colégio Tiradentes, Emília Marilda Cassini, comenta que a solenidade de entrega das telas é um marco para a escola. “Uma felicidade sem fim, uma honra receber o Instituto Terra na escola. Com o recebimento das telas estamos dando início ao Projeto de Educação Ambiental, que vai ser realizado durante todo o ano. Momentos como esse são um estímulo para os estudantes, e nos ajudarão a debater o papel e a interferência de cada indivíduo e de seus atos na sociedade e no ambiente em que vivemos. Obrigada ao Instituto Terra e ao Sebastião Salgado pelo privilégio de ter conosco essas preciosidades”.

Para a supervisora de Logística do Instituto Terra, Marilda Moreira Damasceno, foi uma honra fazer as doações ao Colégio Tiradentes. “Temos uma parceria muito bacana com a Polícia Militar, e quando o major nos pediu as telas, fui logo falando com o Sebastião, que de imediato autorizou a doação das telas autografadas. Essas obras que trouxemos fazem parte do projeto Êxodo. Em breve retornaremos ao colégio para fazer a doação das telas do projeto Gênesis. Nós, do Instituto Terra, estamos agradecidos pela recepção maravilhosa. Confesso que achei que viria ao colégio, faria a entrega e pronto. Porém, fui surpreendida com essa cerimônia encantadora, com banda de música e a presença dos alunos disciplinados, com uma postura digna de um colégio militar. Parabéns a todos”.

O sonho de plantar uma floresta deu origem ao Instituto Terra

O Instituto Terra é fruto da iniciativa do casal Lélia Deluiz Wanick Salgado e Sebastião Salgado, que, há pouco mais de uma década, diante do cenário em que se encontrava a antiga fazenda de gado adquirida da família de Sebastião Salgado, na cidade mineira de Aimorés, tomou uma decisão: devolver à natureza o que décadas de degradação ambiental destruiu. Mobilizaram parceiros, captaram recursos e fundaram, em abril de 1998, a organização ambiental dedicada ao desenvolvimento sustentável do Vale do Rio Doce.

Em cerca de duas décadas, o sonho do casal já rendeu muitos frutos. Por conta da atuação do Instituto Terra, mais de 7.000 hectares de áreas degradadas estão em processo de recuperação na região e mais de 4 milhões de mudas de espécies de Mata Atlântica foram produzidas em seu viveiro, para abastecer tanto os plantios na RPPN Fazenda Bulcão quanto os projetos de restauração desenvolvidos na região.

A antiga fazenda de gado, antes completamente degradada, hoje abriga uma floresta rica em diversidade de espécies da Mata Atlântica. A experiência comprova que, junto à recuperação do verde, nascentes voltam a jorrar e espécies da fauna brasileira, em risco de extinção, voltam a ter um refúgio seguro.

Sebastião Ribeiro Salgado Júnior é um famoso fotógrafo brasileiro. Foi internacionalmente reconhecido e recebeu praticamente todos os principais prêmios de fotografia do mundo, como reconhecimento por seu trabalho. Fundou em 1994 a sua própria agência de notícias, “As Imagens da Amazônia”, que representa o fotógrafo e seu trabalho. Salgado e sua esposa Lélia Wanick Salgado, autora do projeto gráfico da maioria de seus livros, vivem atualmente em Paris. O casal tem dois filhos.

Instituto Terra

O Instituto Terra foi fundado em abril de 1998. É uma organização civil sem fins lucrativos, que atua na região do Vale do Rio Doce, entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Trata-se de uma região do Brasil que vivencia as consequências do desmatamento e do uso desordenado dos recursos naturais, como a seca, a erosão do solo e a falta de condições para o homem do campo viver e prosperar.

Atualmente, o Instituto Terra conta com 22 associados, sendo 2 fundadores vitalícios, 8 associados fundadores e 12 associados efetivos. Suas principais ações envolvem a restauração ecossistêmica, produção de mudas de Mata Atlântica, extensão ambiental, educação ambiental e pesquisa científica aplicada.

O Instituto Terra administra a Fazenda Bulcão, que é constituída por uma área total de 709,84 hectares, sendo 608,69 hectares reconhecidos como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) desde a sua fundação – trata-se da primeira RPPN, constituída em uma área de Mata Atlântica degradada. Em Minas Gerais existe, desde 2004, a figura da Reserva Particular de Recomposição Ambiental, destinada a áreas degradadas e inspirada na Fazenda Bulcão.

Com o reflorestamento da RPPN Fazenda Bulcão, cujo primeiro plantio foi realizado em dezembro de 1999, o Instituto Terra está perto de concluir um projeto de recuperação de Mata Atlântica sem precedentes no Brasil em termos de área contínua.

por Angélica Lauriano| angelica.lauriano@drd.com.br