CINCO A UM

0
475
FOTO:Divulgação.

Na semana passada recebi o seguinte e-mail da senhora Maria: “Caro doutor, me ajude, por favor. Meu Juca fez treze anos e ultimamente vem se comportando estranhamente. Fica trancado no quarto por horas, quando vai tomar banho demora uma eternidade… O tio dele fica zoando e dizendo que é o cinco a um! Ai, doutor! Que vergonha! Se masturbar não faz mal pra saúde? Não sei como falar com ele. Meu marido não está nem aí… Socorro doutor!”.

É claro que já respondi à angustiada Maria. Mas achei pertinente trazer a dúvida para nossa coluna (com nomes trocados é claro!), já que essas perguntas povoam a mente de muitos pais e adolescentes.

Em primeiro lugar, a masturbação é uma atividade humana NORMAL e praticada por todo mundo (quero dizer de qualquer idade e sexo, dependendo das circunstâncias). Logicamente que o adulto, por ter parceiras(os), tem menor necessidade de recorrer a este, digamos, recurso.

O sexo pode ser considerado uma fonte de energia, que gera uma tensão em nosso corpo. A maneira mais natural de aliviar esta tensão é o orgasmo. Imaginem um(a) jovem cheio de hormônios e fantasias sexuais… Como esta tensão vai se dissipar? Com a masturbação, na maioria das vezes! E se ELE não se masturba? Vai acordar com o pijama melado! É isso que chamamos de POLUÇÃO NOTURNA – fato comum na adolescência. Masturbar-se é como “escoar” a tensão sexual. Mas a masturbação também cumpre outras funções importantes para os(as) nossos(as) jovens: é uma forma importante de autoconhecimento e de aceitação do próprio corpo; funciona como uma preparação para a vida sexual adulta e, frequentemente, é usada para aliviar tensões emocionais (antes de provas importantes, por exemplo).

É mais comum que se discuta a masturbação dos meninos, como se tal prática não existisse para as meninas. E, infelizmente, isso é quase verdade! As meninas são, desde muito cedo, desestimuladas a manipular suas genitálias. Por isso mesmo, às vezes não lidam bem com o autoerotismo. Por isso mesmo, é comum encontrar meninas que têm medo até de fazer sua higiene íntima. É fundamental que as mães entendam que manipular a genitália é parte do processo de autoconhecimento e não tem a conotação “pecaminosa” que está só na cabeça dos adultos. Então… meninas se masturbam sim… e é normal!

Por tudo isso, caro leitor, é muito cruel ficar fazendo piadas com a meninada e reforçando mitos que perduram até hoje como: se masturbar emagrece; deixa fraco; aumenta as mamas; causa espinhas; deixa “bobo”; diminui o rendimento escolar ou interfere na futura capacidade de ter orgasmo da mulher. Chega a ser impressionante como essas besteiras são exaustivamente repetidas através dos anos… E, de tão repetidas, ganham força e credibilidade no imaginário de pais e adolescentes.

Por tudo que foi dito até aqui, espero que você, que teve a paciência de ler esta coluna até aqui, tenha chegado à conclusão, enquanto pai ou mãe, de que tem que dizer ao seu filho adolescente que se masturbar é normal e saudável. A educação sexual não é só uma matéria da escola (ramo da biologia, como as abelhinhas). A educação sexual começa em casa!

Darlan Corrêa Dias | Esta coluna é quinzenal. Se você quiser sugerir assuntos ou tirar dúvidas utilize o nosso e-mail: darlancorreadias@gmail.com.