Câmara aprova condições para pesca na Lagoa do Jardim Pérola

Autores do projeto esperam que a liberação da pescaria, além de garantir uma opção de lazer, contribua para a oxigenação da água da Lagoa do Pérola. FOTO: Angélica Lauriano

As condições para a pesca na Lagoa do bairro Jardim Pérola foram aprovadas pela Câmara Municipal. Conforme o Projeto de Lei 73/2019, de autoria dos vereadores Coronel Wagner (PMN) e Rildo do Hospital (PSL), a pesca amadora está autorizada uma vez por ano, apenas na sexta-feira anterior à Sexta-feira da Paixão. Cada pescador pode retirar o máximo de cinco peixes da lagoa, e está vedado o uso de redes, tarrafas e equipamentos similares – o descumprimento das normas está sujeito a advertência, multa, apreensão de peixes e apreensão ou destruição de equipamentos.

Segundo o vereador Coronel Wagner, a iniciativa para a elaboração do Projeto de Lei surgiu após uma visita à Lagoa do Pérola. Na oportunidade, moradores denunciaram a alta mortandade de peixes no local. O parlamentar acredita que a pesca, com as condições regulamentadas, contribuirá para o controle populacional dos peixes. Ao mesmo tempo, a comunidade ganha mais uma oportunidade de lazer.

“Nós adotamos as medidas de pedir à Prefeitura para fazer a verificação da qualidade e da oxigenação da água. E houve um entendimento, de técnicos e pessoas que residem no local, de que a pesca eventual poderia ajudar a reduzir a superpopulação de peixes na lagoa e, com isso, também ajudar a manter a qualidade de vida desses animais nessa mesma lagoa”, declarou Coronel Wagner.

Rildo do Hospital destaca que o projeto é inspirado em outro semelhante, apresentado no município de Marilac. O vereador, que é presidente da Comissão de Turismo e Meio Ambiente, também relatou a visita à lagoa: “Recebemos a denúncia de que havia peixes morrendo por despejo de esgoto na lagoa. Visitamos o local, com os vereadores Coronel Wagner, Antônio Carlos, Rosemary Mafra e Betinho Detetive. Não tinha esgoto na lagoa, mas a gente constatou que a mortalidade dos peixes era pela falta de oxigênio na água. O projeto foi aprovado, falta o prefeito sancionar. Mas creio que ele irá sancionar, porque não gera gasto nenhum para o município”. O parlamentar defende outras medidas para aumentar a oxigenação da água na lagoa, como a instalação de bombeamento e de pedalinhos.

O que dizem os pescadores

Pescadores ouvidos pelo DIÁRIO DO RIO DOCE aprovam a liberação da pescaria. Na opinião de Renato Freitas Borges, a pescaria na Lagoa do Pérola será mais uma alternativa de diversão em Valadares: “Em Ipatinga, no aniversário da cidade, o pessoal pesca lá e se diverte. Tem troféus pra quem pegar o maior peixe e o menor peixe. A Lagoa do Pérola tem muito peixe, mas não deixam pescar. A gente, que é pescador, gosta de brincar e se divertir com a família. No rio Doce a gente pega o peixe e solta, não pode comer o peixe. Se conseguir mesmo abrir a Lagoa do Pérola, vai ser muito legal para se divertir com os amigos, ir lá para bater papo e contar história de pescador”.

Mas há discordância quanto a algumas condições. Genivaldo Rodrigues, por exemplo, criticou o limite de peixes que podem ser retirados da lagoa: “Concordo com a liberação da pesca na Lagoa do Pérola, desde que o pescador esteja portando sua licença da pesca. Não sou a favor do uso de tarrafas, mas o limite de cinco peixes por pescador não funciona. O pescador amador não vai sair de casa com o equipamento pra pegar cinco peixes”.

por Thiago Ferreira Coelho | thiago@drd.com.br