Brasil disputa Mundial de Parapente em busca de resultado inédito na Macedônia, de 5 a 18 de agosto

A seleção brasileira de voo livre já se encontra treinando na Macedônia, para a disputa do Mundial de Parapente. FOTO: Divulgação

Uma semana depois de obter o segundo lugar no Mundial de Asa Delta 2019, na Itália, o Brasil está em busca de novos feitos no voo livre. A seleção verde e amarela participa, de 5 a 18 de agosto, do 16º Campeonato Mundial de Parapente, disputado em Kruševo, na Macedônia. A delegação tem o apoio da Confederação Brasileira de Voo Livre – CBVL.

O país integra ininterruptamente todas as edições da competição há exatos 30 anos, desde o Mundial da Áustria, em 1989, mas nunca conquistou pódios na modalidade de equipes. Para quebrar o jejum, o esquadrão canarinho é composto por atletas multicampeões dentro e fora do Brasil e, inclusive, detentores de recordes mundiais.

A região macedônica que sedia o evento e suas 48 seleções oferece condições de voo similares às de alguns territórios brasileiros, o que reforça o otimismo do time. “É uma área formada por montanhas e vales planos, sem grandes desafios, que irá oferecer boas provas. Ela é similar a locais que conhecemos bem”, comenta o team leader Dioclécio Filho, o Dió.

Seleção confiante no pódio

Apesar do talento individual dos competidores, a delegação está com os dois olhos focados no resultado coletivo. “Nosso objetivo é muito claro: colocar o Brasil no pódio. Por isso, o entrosamento do time é uma ferramenta a nosso favor; afinal, os pilotos já estiveram juntos em várias ocasiões e conhecem o estilo e o que cada um pode somar na equipe”, reforça Dió.

Conheça a delegação

O esquadrão canarinho é composto por quatro atletas e um team leader, responsável por coordenar o trabalho da equipe. Conta, também, com uma pequena equipe de apoio. Saiba quem são os atletas que representam a nação verde e amarela:

Frank Brown: Voa desde 1981, 12 vezes campeão brasileiro de parapente, vice-campeão mundial FAI (Federação Aeronáutica Internacional), vice-campeão Superfinal Paragliding World Cup, possui dois recordes mundiais de distância livre, conquistados em 2007 e 2016, – ex-líder ranking mundial FAI (Federação Aeronáutica Internacional), já integrou a equipe brasileira no Mundial de Parapente em oito ocasiões.

Rafael Saladini: Possui dois recordes mundiais de distância livre, atual bicampeão brasileiro de parapente 2017/2018, campeão do Paragliding World Cup Andradas 2017, campeão em 2008 da Liga Mundial de Cross Country (XContest), integrou a equipe brasileira no Mundial de Parapente de 2017.

Marcella Uchoa: Voa desde 2010, possui três recordes mundiais de voo em distância em linha reta, voo por três pontos e voo declarado (modalidade em que o atleta informa onde irá chegar antes de decolar), campeã brasileira de parapente em 2018, 3º lugar feminino no Paragliding World Cup Andradas 2017, campeã mineira e paulista de parapente.

Rafael Barros: Voa desde 2002, tricampeão paulista de parapente, 7º lugar no Paragliding World Cup Argentina 2014, 5º lugar no Paragliding World Cup Andradas 2017, 3º lugar no Paragliding World Cup Bulgaria 2018.