Bolsonaro deve esperar novo Congresso para discutir Previdência, diz Santos Cruz

358
FOTO: Divulgação

O ministro Carlos Alberto dos Santos Cruz, titular da Secretaria de Governo da Presidência da República, sinalizou nesta terça-feira, 8, que o presidente Jair Bolsonaro deve esperar as eleições internas para a presidência da Câmara e do Senado para apresentar aos parlamentares a proposta de reforma da Previdência.

“Tem que deixar o Congresso se mexer. Vamos deixar o pessoal se acomodar”, afirmou o ministro, que avaliou como positiva a renovação no Parlamento e a chegada dos novatos com “oxigênio novo para o Congresso”.

“Tem que ver qual é o calendário imaginado pelo ministro Paulo Guedes (da Economia)”, ponderou o ministro durante conversa com jornalistas no bandejão do Palácio do Planalto.

Santos Cruz diz que o ministro da Economia, Paulo Guedes, está fazendo aperfeiçoamentos para posterior aprovação de Bolsonaro e que não fez apresentação formal da proposta na reunião ministerial pela manhã. “Tudo isso é muito técnico, não se discute com 22 ministros.”

Na reunião, Bolsonaro pediu aos ministros foco na melhoria da segurança pública, na transparência e na publicidade dos atos. Também foram discutidas ações para o Nordeste, como a busca de tecnologias para solucionar o abastecimento de água no sertão.

Fraudes

Santos Cruz elogiou a iniciativa do governo de editar uma medida provisória para implementar sistemas de controle contra fraudes na Previdência Social. Ele comparou a biometria usada na eleição como um exemplo do que poderia ser aplicado. “Você não tem um mecanismo desse de controle no INSS, em favor do Bolsa Família. Você pode ter fraude. A sensação que a gente tem é que é grande, mas pode ser que não seja. A gente tem que criar isso daí, um mecanismo que economize dinheiro público”, defendeu.

Porta-voz

O ministro passou a semana discutindo com assessores a estrutura de funcionamento da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), que inclui a Secretaria de Imprensa. Segundo ele, o presidente vai contratar um porta-voz oficial, mas ainda não definiu o perfil, nem deu um prazo. Os ministérios estão avaliando se promoverão mudanças nas respectivas assessorias de imprensa. Com a vinda da Secom, Santos Cruz responde agora também pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) – por isso a necessidade, segundo ele, de revisão da estrutura da pasta.

A pasta de Santos Cruz é responsável agora pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), além de emendas parlamentares e relações com governadores e prefeitos. Na sexta-feira, o ministro vai a Porto Alegre (RS) assinar contrato de cerca de R$ 7 bilhões em investimentos. Agência Estado