Bolsonaro adia reunião com líderes governistas para amenizar insatisfações

0
185
FOTO: Divulgação

Brasília (AE) – Com a ainda latente insatisfação entre governistas e a possibilidade de ter um quórum esvaziado, o Palácio do Planalto adiou uma reunião que o presidente Jair Bolsonaro realizaria na manhã de ontem com líderes de partidos que devem compor a base aliada na Câmara. A avaliação feita pelo governo é de que é preciso ganhar tempo para apaziguar os ânimos de modo a não desperdiçar a chance de ter uma aproximação mais efetiva do presidente com a sua possível rede de apoio.

O encontro será realizado na próxima terça-feira, 26, pela manhã, Bolsonaro pretende conversar com os parlamentares sobre a proposta de reforma da Previdência. A ideia é que o próprio presidente explique pontos da matéria e tire dúvidas. Ele deve, no entanto, ouvir críticas e reclamações sobre a condução da articulação do seu governo com o Congresso.

Foram convidados os partidos que o governo acredita que estarão em sua base de apoio. Já da oposição, foram chamados apenas o PSB e o PDT. Os líderes do PT, PCdoB, PSOL, Rede e PPL não foram convidados.

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou que a decisão de adiar o encontro foi tomada porque o texto da reforma da Previdência foi apresentado oficialmente ao Congresso na quarta, 20, e seria melhor dar tempo aos parlamentares se aprofundarem na questão.

“Estivemos na quarta com os líderes quando o presidente foi levar a PEC da previdência. Já foi um movimento importante. Achamos melhor, então, dar um tempo maior para a leitura e estudo da proposta por parte dos líderes, para aproveitar a oportunidade da semana que vem e falar sobre a nova Previdência na reunião”, disse o parlamentar.

por Mariana Haubert