Black Friday: cresce para 21% o número de empresários que devem aderir à promoção

"Participo do Black Friday há três anos. Acredito que 2019 é o ano de superar as vendas", disse Karine Saltarelli.Foto: Arquivo pessoal

É hora de preparar o comércio para aproveitar da melhor forma a data que vem ganhando força no Brasil. Para isso, a CDL-GV preparou um palestra especial sobre o tema

Estamos a 28 dias de uma das datas mais aguardadas em diversos locais mundo a fora: a Black Friday. A data, conhecida como “Sexta-feira Negra” no Brasil, está marcada para o dia 29 de novembro. Segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 21% dos empresários brasileiros que atuam no comércio e no ramo de serviços devem aderir à Black Friday 2019, enquanto que em 2018 a adesão foi de 16%.

Pensando em contribuir com os empresários e gestores de Valadares, a CDL-GV preparou para essa quinta-feira (31) uma palestra especial no Café e Negócios, com o tema: “Estratégias para alavancar suas vendas na Black Friday”, ministrada pelo empresário e consultor empresarial Décio Pessoa.

Para o presidente da CDL-GV, Rogers de Marco, nada mais justo do que preparar e informar os empreendedores para a ocasião. “Nesse Café e Negócios, nossa intenção foi amparar e nortear os empreendedores a como aderir a essa oportunidade da maneira correta, com os pés no chão e de forma lucrativa. Nosso papel é colaborar com os lojistas, e é isso o que estamos fazendo”, afirmou o presidente.

A proprietária de loja infantil Karine Saltarelli participou do café e aproveitou as estratégias passadas pelo palestrante. Ela disse que pretende colocar tudo em prática no dia 29 de novembro, para atrair os clientes. “A palestra foi válida. Já participo do Black Friday há três anos. Nos anos anteriores foi bom, mas poderia ser melhor. Neste ano estou muito confiante e acredito que vai superar minhas expectativas. Agora é esperar o dia 29 para receber os clientes com muitas novidades e promoções”, explicou a empresária.

De modo geral, os empresários que vão aderir à Black Friday estão esperançosos com a data e veem potencial na edição deste ano. A pesquisa aponta que 43% dos empresários consultados acreditam que, durante o evento, as vendas em 2019 serão melhores do que as do ano passado, enquanto 32% falam em estabilidade. Apenas 11% projetam vendas piores.

A experiência em anos anteriores explica a razão do otimismo desses empresários. Dentre os que aderiram à Black Friday em 2018, a maioria (63%) obteve bons resultados de vendas, seja por terem vendido acima das expectativas (20%) ou obtido um resultado conforme o esperado (43%). Em contrapartida, pouco mais de um terço (34%) dos empresários registrou vendas abaixo do projetado.

Oportunidade para captação de clientes

Considerando os empresários que vão participar da Black Friday deste ano, seis em cada dez (57%) acreditam que a data representa uma oportunidade para divulgar a loja e prospectar novos clientes e 43% veem a chance de aumentar as vendas. Há ainda um quarto (25%) de empresários que querem desovar estoques parados.
Quanto às formas de preparação, as promoções especiais (55%) serão a principal estratégia dos empresários. Há ainda 42% que vão investir na divulgação da empresa, 23% que planejam aumentar os estoques, 16% que vão apostar na variedade de produtos e serviços ofertados e 11% que irão investir na operação das vendas pela internet, alcançando um público maior. O percentual médio de desconto deve girar em torno de 24%, percentual um pouco menor do que os 29% da pesquisa de 2018.

Black Friday e Natal

Nos últimos anos muito tem se falado sobre a possível interferência da Black Friday nas compras de Natal, a data mais lucrativa do varejo para o ano. No entanto, os empresários sondados dizem, em sua maioria, que uma data não prejudica a outra. Para 54%, esse tipo de interferência não existe, e para 33% o evento até mesmo contribui para o Natal vender ainda mais. Outros 8% falam em prejuízo no Natal por conta das vendas antecipadas na Black Friday.

Um indicativo de que as vendas da Black Friday não sobrepõem as do Natal são as diferentes características de compras em cada uma das datas.

por Angélica Lauriano | angelica.lauriano@drd.com.br