Beto Corujão

0
362

Coluna Adolescer Bem
Autor Darlan Corrêa Dias

Caro leitor, esta semana eu recebi o Beto (12 anos) em meu consultório. A mãe dele está preocupada, pois ele anda com umas olheiras enormes (“como uma coruja doutor!”). Disse ainda que o Beto está comendo muito, ganhou peso,  anda com humor terrível e vive cochilando pelos cantos da casa. O menino tem uma agenda apertada: acorda cedo para ir para a escola (sempre protestando muito); depois do almoço (repete o prato sempre) tira uma soneca de hora e meia e, todas as tardes, tem atividades (duas vezes futebol, duas vezes aula de reforço e uma vez de violão). Seu desempenho escolar tem piorado muito.

Vai dormir a noite por volta de onze horas, com exceção das quartas-feiras, quando fica vendo futebol com o pai “até depois de meia-noite”.

Onde o Beto dorme? No quarto dele. Como é este quarto? Tem um computador que fica ligado a noite inteira; um belo aquário que tem uma luz azul, também ligada a noite toda e um abajur, que também ilumina o quarto, porque, quando nosso Beto era pequeno, tinha muito medo do escuro… Ou seja, o quarto do Beto é mais iluminado que a praça dos Pioneiros!

Pedi para a mãe sair e o rapaz me confessou que vai sim para a cama nos horários relatados pela mãe, mas fica no whatsapp ou jogando no celular durante horas…

Ah, Beto! Ah, leitor! Como isso está ficando comum! Esta história se repete em vários lares brasileiros… UM VERDADEIRO DESASTRE!

Em matéria do site UOL, em fevereiro deste ano, o Instituto de Pesquisas e Orientação da Mente Ipom, divulgou uma pesquisa feita com 1.830 adolescentes entre 14 e 18 anos, sendo que 88% deles insatisfeitos com seu sono e 82% deles deixam o celular ao lado da cama durante o sono.

NOSSOS ADOLESCENTES ESTÃO DORMINDO CADA VEZ MENOS E SEUS PAIS NÃO PERCEBEM!

Os efeitos deste mau hábito têm um enorme alcance. O sono interrompido pelo sinal de mensagem ou pela atualização de redes sociais atrapalha a evolução das fases do sono e prejudica a liberação de hormônios importantes.

Alterações da rotina do sono ou diminuições nas horas de sono alteram o desempenho na escola, no trabalho e nas atividades sociais.

O sono é fundamental, não só para repor energias, mas durante o sono consolidamos nossas memórias.

O grande psiquiatra infantil José Belizário Filho vem chamando atenção para esse assunto há algum tempo. O Hormônio do Crescimento é mais secretado de madrugada. Se o pico de secreção deste hormônio não coincidir com a fase de SONO PROFUNDO do adolescente, ELE VAI CRESCER MENOS! Além do mais, a privação do sono vai levar, em longo prazo, a alterações do humor (principalmente irritabilidade), dificuldade de focar atenção (piora nas notas) e aumento do apetite (e do peso). Isso acontece porque o organismo interpreta a restrição do sono como um estresse e tende a compensar “retendo calorias”.

Caro leitor, a solução está em cada família. É necessário criar uma rotina para nossos jovens. A isso chamamos HIGIENE DO SONO. Seguem algumas dicas, que vale adaptar à rotina de cada família:

  1. Dormir sempre no mesmo horário (obrigação dos pais fiscalizar).
  2. Dormir de oito a dez horas por dia (rotina da Fundação  Nacional do Sono – EUA).
  3. Ambiente cem por cento escuro e sem aparelhos eletrônicos. Com temperatura agradável. Se o celular for usado como despertador, colocar no MODO AVIÃO (mas de preferência sem celular no quarto).
  4. Uma hora antes de dormir, ter atividades mais tranquilas. Evitar luz artificial (telas). Proibir bebidas e alimentos estimulantes (pimentas, cafeína e refrigerantes).

Com essas simples providências, começamos a colocar o sono de nossos meninos no eixo. Quer tentar?

Essa coluna é quinzenal, se quiser sugerir um assunto ou tirar dúvidas, utilize o e-mail darlancorreadias@gmail.com