Aumento de moradores de rua em Valadares preocupa autoridades

0
239
A reunião serviu para mostrar que a situação é agravante e mobilizar as autoridades a realizar um trabalho de acolhimento e controle FOTO: Divulgação

Tanto em cidades grandes, conhecidas por ter grande população de moradores de rua, como em cidades pequenas, a situação de vida nas ruas da cidade é alarmante. Não é um problema exclusivamente brasileiro, ele está presente no mundo todo. Em uma reunião na manhã de terça-feira, 4, promovida pelo Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), na pauta estava esta situação que tem crescido em Governador Valadares e preocupado autoridades da cidade.

Como presidente do GGIM, o prefeito André Merlo abriu os trabalhos lembrando que a atual situação em que o país vive é a consequência de uma reação que relaciona os altos índices de desemprego, rebaixamento salarial, uso de drogas e violência. “Não dá mais para cada um fazer o seu trabalho. Precisamos realizar uma força-tarefa e juntos encontrarmos uma solução pois o aumento no número de pessoas em situação de rua é alarmante e pede maior atenção de todos nós, para que eles tenham a possibilidade de ter uma vida decente e com recursos mínimos para se obter ao menos qualidade de vida”.

A socióloga da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) Merly Gonçalves Corrêa iniciou as apresentações, relatando os trabalhos realizados pela Prefeitura para acolher essas pessoas e oferecer a assistência necessária com os serviços, seja na área da saúde, assistência e outros setores.

Logo em seguida o Comandante do Sexto Batalhão de Polícia Militar, Coronel Fausto, apresentou os índices e fatores que levam o indivíduo a se encontrar nesta situação, como, por exemplo: violência, drogas, desemprego. Mostrou ainda os locais detectados pela PM, onde possuem mais pessoas que precisam de apoio. Também estavam presentes a juíza Solange Reimberg e a promotora Mariana Diniz. Representantes das Polícias Civil e Militar, Sindicomércio, Consep, Comtur, entre outros.

O diretor de Defesa Social, Sebastião Siqueira, explica que, ao final da reunião, ficou criado um Grupo de Trabalho (GT), que será responsável por traçar ações práticas e rápidas. “Fazem parte do GT as Secretarias de Saúde, Assistência Social e Obras e Serviços Urbanos, as Polícias Militar e Civil, Conselho Tutelar, Ministério Público e Judiciário. O próximo passo será a indicação das pessoas que farão parte do grupo representando cada órgão. Esperamos que ainda esta semana já tenhamos os nomes para marcarmos nossas próximas reuniões e iniciarmos nossas ações, que serão em caráter emergencial. A Secretaria de Assistência Social será a responsável por acionar o GT sempre que necessário, uma vez que ela é a responsável por trabalhar as políticas públicas voltadas para as pessoas em situação de rua”, explica.

 

FOTO: Divulgação

A reunião serviu para mostrar que a situação é agravante e mobilizar as autoridades a realizar um trabalho de acolhimento e controle