Atlético-MG enxuga elenco e aumenta concorrência com reforços pontuais

FOTO: Divulgação

Com quase 40 nomes em seu plantel principal antes da parada para a Copa América, a diretoria do Atlético-MG vai conseguindo se desfazer de atletas não utilizados. Ao mesmo tempo, o time se fortalece com novas caras para o segundo semestre do ano. Após retornar aos treinos com três reforços pontuais, a equipe mineira, aos poucos, começa a se aproximar do número desejado para ser trabalhado por Rodrigo Santana.

Martin Rea, Leandrinho e Renan Guedes já acertaram suas saídas do clube. O próximo a deixar a equipe deverá ser Matheus Mancini. Filho do técnico Vagner Mancini, o zagueiro foi liberado pela diretoria para viajar e realizar exames médicos no Acadêmica de Coimbra, de Portugal. Com contrato até 2020, o jogador de 24 anos foi emprestado no ano passado para o Londrina e nunca conseguiu se firmar no Atlético, realizando apenas 12 partidas até aqui. Com isso, Rodrigo Santana ficará apenas com os titulares Réver e Igor Rabello, além da dupla de reservas Leonardo Silva e Igor Maidana.

Pelo menos outros quatro atletas não estão nos planos da diretoria e comissão técnica. O jovem lateral Hulk não foi aproveitado nem mesmo quando o titular Fábio Santos estava ausente. Agora com a chegada de Lucas Hernández, ele será repassado para ganhar mais rodagem em outra equipe. A situação de Carlos César é parecida. O lateral-direito segue treinando com o grupo, mas não terá chances de jogar, já que tem Patric e Guga como concorrentes.

Também por não serem aproveitados, David Terans e Papagaio dificilmente ficam na equipe. O Atlético já estourou o número de estrangeiros permitidos para serem relacionados em uma partida, e isso torna real a saída do meia uruguaio. Já o jovem atacante não ganhou as chances que pretendia no primeiro semestre, muito por causa das boas atuações de Alerrandro. Com clubes interessados em contar com seu futebol, Papagaio é outro que não deve ficar.

Dos jogadores que tinham contrato até o fim de junho, Nathan é o único que desperta interesse da comissão técnica. O meia estava emprestado pelo Chelsea e também pretende permanecer no Atlético, mas os clubes ainda não chegaram um consenso para uma renovação do empréstimo pelo menos até o final do ano. Nathan segue fazendo trabalhos no CT, mas já não treina mais junto com os companheiros.

Além das saídas de jogadores não aproveitados, o técnico Rodrigo Santana viu a concorrência aumentar em setores importantes do time. Para começar, a chegada do uruguaio Lucas Hernández, do Peñarol, faz pelo menos uma sombra no titular Fábio Santos. Até então, o dono da posição não tinha um reserva à altura e já chegou a ser questionado em alguns momentos do ano.

No meio, o paraguaio Ramón Martínez entra para brigar por uma vaga de primeiro volante. Apesar de polivalente, o jogador admitiu que prefere atuar à frente da linha defensiva. Atualmente, Adilson, Zé Welison e até Jair se revezaram para formar a dupla ao lado de Elias, mas nenhum dos três conseguiu se firmar no time.

Por fim, Otero também chega para acrescentar na linha ofensiva do time alvinegro. Luan e Chará serão os principais concorrentes, mas o venezuelano pode virar uma boa peça para o decorrer das partidas, além de ter a bola parada como ponto muito forte.

por ENRICO BRUNO UOL/FOLHAPRESS