Associação Comercial doa projeto de tirolesa gigante para Município

685
A maior tirolesa do mundo deve ligar o pico da Ibituruna ao Parque Municipal

A Associação Comercial e Empresarial de Governador Valadares (ACEGV) presenteou o Município com projeto de instalação da maior tirolesa do mundo, que deve ligar o pico da Ibituruna ao Parque Municipal. O projeto foi entregue pelo presidente da entidade, Jackson Lemos, ao prefeito André Merlo e ao secretário de Desenvolvimento, Carlos Teixeira. Além da tirolesa, ele inclui a proposta de implementação de um circuito infantil e adulto de arvorismo, redes suspensas entre pontes no percurso de até duas horas, uma plataforma de saltos de base jump e uma parede de escalada com 10 metros de altura.

A empresa responsável, Projeto Aventura, tem 30 anos de experiência em construção de tirolesas. A pequena cidade de Pedra Bela, em São Paulo, com cerca de 6.000 habitantes, e as cidades de Rodeio e Bendito Novo, com cerca de 11.00 habitantes cada, são exemplos de projetos de sucesso. Pedra Bela tem a maior tirolesa das Américas, com 1.900m de extensão e 250 metros de altura. A realização nessas cidades mostra que o projeto é totalmente possível e que o pico da Ibituruna oferece todas as condições para a instalação do empreendimento.

A doação do projeto facilita a realização, pois significa que o município pulou etapas e economizou tempo e investimento, já que apenas a apresentação do projeto exigiria uma licitação por parte da Prefeitura, o que atrasaria o processo em pelo menos um ano. De acordo com Jackson Lemos, presidente da Associação Comercial de Governador Valadares, o planejamento e a execução do projeto custaram cerca de R$ 35 mil. “Já somos referência para a prática de voo livre. Agora queremos ser referências em turismo de aventura, movimentando a economia da cidade. Com o projeto executivo em mãos, a Prefeitura pode abrir uma chamada pública, para os investidores interessados. Esse é um projeto para sair do papel para a prática, no prazo de seis meses após a captação dos investidores”, explica Lemos.