Alunos de odontologia visitam o Museu da Cidade

Os alunos foram conhecer como era desenvolvida a profissão em décadas passadas

Dia 25 de outubro foi o Dia do Dentista. Mas você sabia que a profissão no Brasil começou a ser exercida por barbeiros, farmacêuticos e médicos? Que antes da invenção da anestesia, a forma de remediar a dor era embebedando o paciente ou usando éter? Que a profissão que começou realizando apenas extração e restaurações primitivas hoje tem 21 especialidades? Essas e muitas outras curiosidades foram abordadas nessa quarta-feira (30), durante a visita de 37 alunos do primeiro ano do curso de Odontologia da Univale ao Museu da Cidade.

A visita faz parte da aula do professor de Saúde Coletiva, Victor Gavina, que está trabalhando em sala a história da Odontologia. “Já tinha trabalhado de forma teórica com eles um artigo que mostrava a evolução da Odontologia no Brasil e no mundo. Achei importante realizar a aula aqui para eles verem de perto como eram os instrumentos e cadeiras de antigamente, porque, às vezes, dentro da sala a gente não consegue mostrar”, disse o professor.

A aula extra-classe proporcionou a primeira visita da estudante Mariana Rodrigues Pimenta ao Museu. Ela conta que se surpreendeu com o que viu a respeito da prática odontológica. “É bom porque, lendo apenas o artigo, a gente tenta imaginar como eles eram, e com a visita podemos visualizar como eles são. Achei muito interessante”, comentou.

Além de fotos da cidade, eletrodomésticos e objetos antigos, os estudantes puderam conferir uma sala destinada à área deles, com instrumentos e mobiliário. Destaque para uma cadeira de 1928, do prático Idelond Rosado. A cadeira, que é a mais antiga do Museu, parece bem estranha se comparada aos padrões atuais. Era desmontável e transportada dentro de um caixote para que o prático pudesse se deslocar para realizar atendimentos de Figueira a Diamantina.

O diretor do Museu da Cidade, Josmar Coelho, falou da satisfação em receber a turma de estudantes. “É muito boa a iniciativa, porque mostra a importância do Museu não só em relação à história da cidade, mas na área deles. Esperamos que outras universidades se disponham a vir ao Museu, com esse objetivo de mostrar in loco o segmento em que estão se formando”, declarou.

O Museu da Cidade funciona na rua Prudente de Morais, 711, no Centro. Para visitas de escolas e grupos é necessário fazer um prévio agendamento pelo telefone: 3281.8560. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.