Ademi realiza 1º Encontro Construindo Conhecimento para corretores e construtores

404
Estiveram presentes no 1º Encontro Construindo Conhecimento representantes da Ademi, Caixa Econômica Federal, Sindimóveis, corretores e construtores

A Associação em Defesa do Mercado Imobiliário (ADEMI) realizou na manhã de ontem, 12, o 1º Encontro Construindo Conhecimento, em parceria com a Caixa Econômica Federal e o Sindimóveis. A ideia do evento é fortalecer o mercado imobiliário, em especial no Leste de Minas, mostrando as mudanças do SBPE-IPCA, COT e Análise de crédito. Outra pauta discutida no evento foi a liberação assinada na terça-feira, de 100% do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para financiamentos habitacionais.

Para o presidente da Ademi, Luiz Cláudio Teixeira Pereira, o encontro trouxe novos conhecimentos para os corretores e construtores da cidade. “O evento foi a busca do conhecimento e do profissionalismo que os corretores tanto almejavam. A Ademi teve a iniciativa, juntamente com o Sindimóveis e com o apoio da Caixa, de trazer um evento dessa magnitude, que já existe em Belo Horizonte, na sétima edição, e certamente será o primeiro de outros eventos aqui na cidade, buscando sempre o profissionalismo dentro da cadeia produtiva da construção civil entre os pequenos construtores.”

De acordo com Vinícius Xavier, relações públicas, governamentais e institucionais da Ademi, a associação está a todo vapor, com a FENAPC e CBIC, em Brasília, para buscar melhoria para o mercado imobiliário da cidade. “O evento foi a oportunidade de discutirmos sobre o IPCA, uma nova modalidade de índice utilizada pela Caixa, que pode ser usada para os pequenos construtores e para os clientes deles. É um novo nicho de mercado que está trazendo uma oportunidade boa, tendo em vista que o governo estava atrasando os repasses do Minha Casa Minha Vida. Essa pode ser um a nova modalidade para o pequeno construtor utilizar.”

O presidente geral da agência Ibituruna da Caixa Econômica Federal em Valadares, André Dias, explicou que o encontro trouxe esclarecimento sobre as novas linhas de crédito que a instituição financeira lançou no mercado há 30 dias. “A novidade é o financiamento com indexador do IPCA, que vai baratear o financiamento para as pessoas físicas que procuram imóveis fora do Minha Casa Minha Vida. Então, vai atingir um público de média renda com produto acessível e condições especiais. A ideia é fomentar o mercado de imóveis não só em Valadares, mas em todo o Brasil.”

Segundo Vinícius Xavier, o IPCA antes era corrigido pela taxa TR e a correção gerava um juro maior. Para se ter uma ideia, eram juros em torno de 8 a 10% do financiamento habitacional. Com o IPCA, esse índice, que é corrigido de acordo com a inflação, pode cair para 2.95 a 3% de juros. A ideia é fazer com que a classe média, que não se enquadrava em nenhuma das modalidades, agora possa comprar uma casa com os mesmos juros ou abaixo do Minha Casa Minha Vida.

“O IPCA vai ser bom para os corretores, donos de material de construção e para toda a cadeia da construção civil. Para se ter uma ideia, o Minha Casa Minha Vida faixa dois representa em Valadares em torno de 80 casas por mês. Em torno de 10 a 11 milhões circulam no setor de financiamento habitacional, dando 120 milhões por ano”, explicou Vinícius.

Para João Carlos, presidente do Sindimóveis, a expectativa é de que o IPCA aqueça o mercado imobiliário. “Nós, corretores, estamos vivendo em uma nuvem carregada sem saber o dia de amanhã, e agora, com essas alterações, os corretores vão começar a produzir um pouco mais. Estava afetando a economia de maneira geral. A construção civil é a mola propulsora desse país. Cada imóvel construído gera em torno de 16 empregos diretos e indiretos; isso movimenta a economia e dá à população condição de adquirir o imóvel. Aí entra o corretor para poder fazer o seu trabalho e ganhar o seu dinheiro.”

por Angélica Lauriano