2ª rodada do Campeonato Amador é neste domingo

A primeira rodada do Amador começou quente, com goleadas, e nesta segunda rodada as emoções vão tomar conta dos atletas e torcedores

Neste domingo (25), Valadares será a cidade do futebol. Pelo Campeonato Amador, 12 equipes se enfrentam pela segunda rodada da competição, nos campos do Internacional, Coopevale, Cruzeiro, Liga e Cohab. Os jogos serão: Social do Ipê x Ipiranga; Coopevale x Juventude Carapina; Cruzeiro x Estrela do Mar; Santo André x Palmeiras; Flamengo x Tigre;  Cohab x América.

O Campeonato de Futebol Amador neste ano homenageia Sebastião Pereira Nunes, o Carioca, falecido em maio deste ano. A iniciativa da Secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Juventude (SMCEL) tem o apoio da Liga de Futebol Amador e a chancela da Federação Mineira de Futebol.

Carioca fez história no futebol valadarense e na mídia esportiva, atuando por vários anos como editor de esportes do DIÁRIO DO RIO DOCE

O Carioca e o lendário Pastoril x Botafogo

Para falar de Sebastião Pereira Nunes, o Carioca, antes é preciso falar sobre o Clube Atlético Pastoril, time que o revelou. A equipe amadora foi considerada uma das melhores do estado. O Pastoril se tornou lenda depois de vivenciar um confronto histórico com o todo-poderoso Botafogo de Garrincha, Nilton Santos e companhia, em 5 de maio de 1957.

O time valadarense era formado em sua maioria por jogadores que trabalhavam na Companhia Agropastoril, que patrocinava a equipe. Com seu manto alviverde, foi a campo com Djalma (Jota), Baianinho (Ronan); Carmelito, Cici e Pão Velho; Palêta; Zezinho (Pipiu), Lício, Joel; Paulo Bitaca e Carioca. E o esquadrão da “estrela solitária” foi escalado com Pereira Natero, Bimba (Abigail), Orlando Maia e Nilton Santos; Bob e Bauer (Juvenal); Mané Garrincha, Didi (Ari), Alarcon (Gato), Mário e Cañete.

Pela escalação, dá para perceber que o nosso elenco ainda era conhecido só localmente, enquanto o time do Botafogo estava cheio de estrelas da Seleção Brasileira. O que indicava um passeio do Botafogo virou um jogo equilibrado e terminou empatado em 2 a 2. Carioca jogava como ponta esquerda e foi o primeiro a abrir o placar. O jogador depois veio a se tornar jornalista de jornal impresso e TV e relembrou a histórica partida na edição número 1 da Revista Girô, da Univale, em novembro de 2001.

Segundo Carioca, “o jogo começa e o Pastoril, para a surpresa de todos, pressiona o Botafogo. Com poucos minutos, o time local abre o marcador com ‘Carioca’. Antes mesmo do intervalo, o Pastoril surpreende e marca o segundo gol com Ulisses. Depois de levar uma bronca do técnico no intervalo, o Botafogo acorda e consegue empatar com Gato fazendo os dois gols para os cariocas. O jogo termina com um gosto amargo para os valadarenses, que podiam ter saído vitoriosos de um jogo contra uma das melhores equipes do futebol mundial”, relatou.

A equipe valadarense chegou a enfrentar outros times grandes da primeira divisão como: Flamengo, Cruzeiro, Atlético, Fluminense, Bahia, América Mineiro e até a Seleção Paraguaia. O time valadarense chegou a tentar jogar na primeira divisão, mas não teve sucesso. Encerrou suas atividades em 1962.